Jacinda Ardern avalia a proposta de filme do Massacre de Christchurch em meio à reação

 Jacinda Ardern filme |

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, opinou sobre um próximo filme que deve focar em sua resposta aos ataques à mesquita de Christchurch em 2019.

ICYMI, um filme chamado Eles somos nós está sendo planejado em torno do massacre, que resultou na morte de 51 pessoas nas mãos de um atirador supremacista branco.

De acordo com O Repórter de Hollywood , o filme será uma “história inspiradora” sobre a resposta de Ardern à violência. O título do filme foi tirado de um discurso de Ardern no dia do tiroteio.



Embora o roteiro do filme fosse supostamente desenvolvido em consulta com alguns membros das mesquitas como alvo, também gerou reação do público em geral e da comunidade muçulmana na Nova Zelândia. UMA petição oposição à produção do filme já reuniu mais de 60.000 assinaturas.

“O filme centra vozes brancas e, portanto, continuará a encobrir a terrível violência perpetrada contra as comunidades muçulmanas”, diz a petição.

Agora, Jacinda Ardern confirmou que acredita que a comunidade muçulmana deveria estar no centro de qualquer filme sobre o tiroteio, em vez dela.

“Este é [um] evento muito cru para a Nova Zelândia e ainda mais para a comunidade que o vivenciou”, ela disse em coletiva de imprensa.

Ama filmes e TV?

Receba as últimas notícias, recursos, atualizações e brindes sobre filmes e TV diretamente na sua caixa de entrada Saber mais

“Concordo que há histórias que em algum momento deveriam ser contadas a partir de 15 de março. Mas são histórias de nossa comunidade muçulmana, então precisam estar no centro disso. Não considero a minha uma das histórias que precisam ser contadas”, disse ela.

Ardern acrescentou que não cabia a ela dizer se o projeto deveria prosseguir ou não.

Enquanto isso, um produtor que estava trabalhando em Eles somos nós , Philippa Campbell, divulgou um comunicado anunciando sua renúncia.

“Ouvi as preocupações levantadas nos últimos dias e ouvi a força das opiniões das pessoas. Agora concordo que os eventos de 15 de março de 2019 são muito crus para [um] filme neste momento e não desejo me envolver com um projeto que está causando tanto sofrimento ”, Campbell disse .

A atriz australiana Rose Byrne, que interpretará Ardern, ainda não comentou publicamente sobre a controvérsia.

Para saber mais sobre este assunto, siga o Observador de Cinema e TV.